Gestão financeira para MEI

author-avatar
blog-post-image

Se você é MEI e acha que não precisa saber sobre gestão financeira, saiba que você esta um passo mais perto de fechar sua empresa. 

Uma pesquisa do Sebrae apontou que 77% dos MEIs nunca fizeram nenhum tipo de curso sobre finanças, e 50% registram os gastos em papel. Independentemente de seu tamanho, número de funcionários ou ramo de atuação, você PRECISA ter uma boa gestão financeira para se manter funcionando e crescer.

O MEI não precisa contratar um contador para lidar com estas questões, mas isso não significa que a FerramentasMEI não possa te ajudar, então vamos aos itens que você deve se atentar para gerir bem suas finanças:

Evitar misturar o pessoal com o profissional

Um dos maiores erros dos empreendedores brasileiros é misturar o financeiro da empresa com o particular.

Aparentemente sem muita importância no início da jornada de um MEI, esta falta de separação causa uma grande confusão na hora de criar relatórios para avaliar como anda a saúde financeira de sua empresa.

Um dos inúmeros benefícios de se tornar um MEI é a possibilidade de ter um CNPJ, e por consequência ter a possibilidade de abrir uma conta jurídica no banco de sua preferência, isso lhe dará acesso a créditos e benefícios concedidos somente a empresas.

Estipule um pró-labore (é uma espécie de salário do dono da empresa) que você fará todo mês, esta retirada pode ser em porcentagem ou valor fixo, mas depois que você começar se atenha a ela, isto serve para você não ROUBAR DE SUA PRÓPRIA EMPRESA.

Não saber o custo de produção de seus produtos

Nenhuma empresa em sã consciência deve definir o preço de algum produto com base no achismo, você deve calcular com precisão todos os custos que envolvem a fabricação do produto e colocar a margem de lucro que você deseja receber.

Vamos dar um exemplo bem simples e básico: Digamos que você deseja fazer bolos para vender para as pessoas que estão indo trabalhar pela manhã. Você precisa calcular basicamente;

  • Matéria prima (Quanto custa fazer uma fornada do bolo. Ex: ovos, leite, farinha...)
  • Custo de fabricação (Quanto você gasta com Gás, Energia elétrica...)
  • Mão de obra (Quanto você cobraria por hora para trabalhar para você mesmo?)

Some todos os custos e adicione sua margem de lucro e você terá o preço mínimo que você deve vender sua fornada de bolo para não ficar no prejuízo.

Despesas

As despesas são inevitáveis, afinal você tem custos que deve arcar para manter o funcionamento de uma empresa. Estes custos não têm ligação direta com o custo do produto/serviço.

Liste todos as despesas de sua:

  • Impostos: A categoria MEI simplifica 8 impostos em uma única guia, o DAS, que deve ser paga todo mês.
  • Aluguel: se você tiver um estabelecimento comercial.
  • Salário do seu funcionário (se tiver)
  • Matéria prima para a produção do seu produto
  • Demais custos que você tem...

Dica: É muito importante categorizar os seus gastos, não utilize categorias genéricas, seja específico, pois esta estratégia lhe ajudará a identificar onde você está gastando seus recursos.

Nunca faça compras e nem supostos investimentos por impulso, sem necessidade, ou para agradar você. A sua empresa por estar no começo precisa de muita atenção e cuidado.

Faturamento

O faturamento é simplesmente a soma de todos as vendas efetuadas dos produtos ou serviços prestados. É a partir do faturamento que o governo calcula os impostos.

Para aqueles que se enquadram no MEI, o importante é não faturar mais do que R$ 6.750,00 reais por mês, caso você comece a faturar mais do que este valor todo mês, comece a se planejar para fazer a alteração da categoria de MEI para ME (Microempresa).

Importante lembrar que faturamento é diferente de lucro. Lucro é o que sobra depois de custear as todas as despesas.

Fluxo de caixa

A falta de conhecimento foi apontada em 3º lugar como a principal dificuldade encontrada pelos Microempreendedores individuais em seu primeiro ano de atividade. Esse é um dos instrumentos mais básicos de controle financeiro, acompanhar o desempenho por período de tempo, com relatórios diário, semanal, mensal ou anual.

O que faz um fluxo de caixa eficaz?

  • Registre todas as transações financeiras, desde um simples cafezinho até um lanche no final do dia;
  • Registre valores, prazos (se foi à vista ou a prazo) e as formas de pagamento (dinheiro, cartão, cheque, entre outras);
  • Faça uma reserva para situações de imprevistos ou mesmo no caso de clientes inadimplentes;
  • Mantenha os dados constantemente atualizados;
  • Realize uma análise periódica do que está sendo registrado;

O controle do caixa é essencial para uma gestão financeira eficiente e eficaz. Além de fornecer tranquilidade ao gestor, possibilita a previsão de entradas e saídas futuras, auxiliando na tomada de decisão.

Bom, esperamos que tenhamos contribuído com pelo menos um pouquinho em sua jornada empreendedora, não deixe de acompanhar nossos outros posts.

Teste gratuitamente por 15 dias

Utilize nossa poderosa ferramenta por 15 dias sem compromisso nenhum, não pedimos cartão de crédito, só cadastrar e usar =)

Criar conta